Quando o assunto é Técnica Vocal, cada um corre pra um lado defendendo aquilo que aprendeu e aquilo que acha certo.

Tanto professores, como cantores experientes e posso dizer que até mesmo fonoaudiólogos tem interpretações diferentes sobre determinados tipos de técnica e ajustes vocais.

Podemos citar por exemplo a técnica vocal mais controversa atualmente que é o Drive.

Se você conversar com um fonoaudiólogo ou professor de canto mais conservador, eles vão dizer pra você que isso nem técnica é, mas sim um jeito de acabar com a voz.

Isso está totalmente errado, o termo técnica na verdade está ligado a forma de fazer determinado ajuste vocal ou também o fim que deseja ser alcançado com esse ajuste vocal e para cada um se dá um nome diferente.

Pensando assim temos diversas técnicas vocais como o próprio Drive, o Melisma, falsete, vibrato e por aí vai.

Aqui no site você nunca vai ouvir uma verdade absoluta, pois uma área tão antiga e tão vasta como o canto está aberta sempre a interpretações diferentes.

Aula de Técnica Vocal = Aula de Canto?

A forma mais correta de pensar é a seguinte: Técnica vocal é um dos assuntos tratados dentro de uma Aula de Canto.

Porém isso pode estar muito ligado a uma questão regional. Em alguns lugares do nosso país é comum em escolas de música que eles classifiquem aula de canto como aula de técnica vocal e não tem nenhum problema nisso.

É tudo a mesma coisa e você não precisa se preocupar com o nome, apenas com o conteúdo e com quem vai ministrar essas aulas para você.

Não é um assunto separado ou um novo tipo de aula especial, se alguém tenta te vender isso saia correndo é enganação.

Técnicas Vocais Rudimentares

Algumas técnicas vocais são a base do canto, como é o caso do apoio, impostação, emissão e etc. Para alguns isso não poderia ser classificado como técnica vocal, mas lembra do que eu disse? Existe muita discordância nessa área e não vamos conseguir seguir uma linha que não esbarre em um pensamento diferente sempre.

Essas técnicas são treinadas e geradas no cantor desde o início dos seus treinamentos no canto. Elas não devem ser ignoradas jamais!

Quando falamos em apoio em respiração já podemos dividir isso em outras áreas como respiração intercostal, diagramática e etc.

Estes tipos de técnica são classificados em muitos modelos de ensino como técnicas base ou rudimentares, sem as quais não é possível que o cantor chegue a lugar algum.

Técnicas de Ornamentação Vocal

Essas técnicas para a voz são as que mais entram em saem de moda. É o caso do Drive, dos melismas, apogiaturas e afins.

São técnicas que dependem que os rudimentos ou bases estejam bem estabelecidos para que elas possam funcionar em sua plenitude.

Como exemplo vou citar o Vibrato. O vibrato é uma técnica totalmente dependente do apoio e do controle diafragmático, pois sem o controle destes você irá soar como um bezerro ao tentar usar essa técnica ou até mesmo não conseguirá usá-la da maneira correta.

O falam sobre técnica por aí?

Na internet e no mundo off-line existe muita especulação, e infelizmente se perdeu a padronização do uso do termo técnica vocal.

Uma dica que posso dar é que antes de fazer qualquer coisa, consulte um fonoaudiólogo pois no final das contas, vale aquilo que não irá agredir a sua voz.

Não importa o nome que inventarem, o importante é uma execução limpa,que não gere nem um problema na sua voz e que você chegue no resultado sonoro que deseja.

Veja o material de técnica vocal que separamos pra você:

[orbital_cluster categories=”5″ order=”DESC” orderby=”rand” postperpage=”100″]

Técnica Vocal
4.2 (84%) 5 votes